Cada vez mais as pessoas têm se dedicado a suas carreiras. Outrora era comum ver e encarar o trabalho como uma obrigação inevitável que deveria ser cumprida, gostando-se ou não disso. Com a melhora da educação, das oportunidades de trabalho, cursos profissionalizantes centrados em administração de empresas e ampliação do pequeno e médio empresariado, tem se tornado cada vez mais urgente se vestir bem dentro do limite do bom gosto e da praticidade.

Basta um passeio pelo centro das principais capitais e olharmos para as vitrines de vidro, para percebermos que essa tendência acompanha a ampliação do desejo de ser dono de seu próprio negócio ou ter maior controle sobre sua vida profissional.

Mas você sabe o que eles mais procuram? O que a moda empresarial dita neste momento? Não? Como então, pretende decorar suas vitrines de vidro, balcões, araras, cabides e prateleiras na tentativa de atrair esses consumidores para comprar em sua loja?

Aqui você vai conhecer algumas dicas sobre o que funciona para conseguir faturar com a atual moda empresarial. Vejamos algumas sugestões.

Sim, ainda o pretinho básico

Os clássicos são chamados assim porque mantém sua classe. Trocadilhos infames à parte; não se entregue de imediato a modismos, principalmente em termos de cores; tons escuros e sóbrios emagrecem e transmitem segurança e seriedade e os claros engordam e comunicam descontração. Ao compor o visual é importante que tipo de profissional quer se apresentar, além da opção por roupas discretas, e evitar o jeans sempre é uma boa opção. Acessórios dão um toque de charme, mas excessivos transmitem certa frivolidade.

O que entendemos como roupa de trabalho tem uma diferença crucial das escolhas para o cotidiano ou lazer; a vestimenta profissional tem o trabalho de passar o ideal da empresa e é uma declaração de comprometimento da pessoa que a está usando. Saiba entender e quando abandonar isso, afinal, ponderação na apresentação pessoal é um predicado: a elegância é uma qualidade desejada por muitos e alcançada por poucos.

Pensando em questões de gênero

Os homens precisam aceitar que vestimenta é algo importante e nem sempre preço significa estilo: a procura por tecidos que se adaptam à sua localização geográfica (por exemplo, leves e agradáveis para locais de clima quente) e estilo pessoal. Toda a vestimenta é um conjunto compacto que visa causar impacto estético então sim, a meia é uma continuação da calça, portanto pense bem na combinação que fará. A mesma sugestão serve para o calçado. Prefira camisas lisas ou de tecido estampado que não sejam quadriculados ou listrados.

As mulheres sempre devem pensar bem sobre si em setores empresariais: decotes e transparências não são as melhores escolhas geralmente e batom e esmalte claros são agradáveis sem serem demasiado chamativos. Saias na altura do joelho e tailleurs são charmosos e cativantes, então confie em Coco Chanel.  Babados e renda não são muito bons em locais e trabalho assim como deixar o sutiã visível. Assim como os homens prefira cores discretas e estampas leves. Sapatos fechados é uma boa pedida.

Toalete

A barba bem-feita de outrora agora significa também que ela tem de ser bem cuidada caso se escolha cultivá-la: assim como o cabelo existem cortes apropriados para cada tipo de rostos.  Sempre é bom ter aparência de limpeza e evitando perfumes e/ou desodorantes fortes escolha as águas de colônia. A maquiagem deve ser dosada e prática. O pescoço e colo também são importantes demais para serem deixados à mostra.

Essas dicas são prioritariamente dirigidas àqueles que se dedicam ao ramo empresarial e não podem ser aplicadas arbitrariamente a todos os setores profissionais: por mais que os ternos da Calvin Klein sejam belíssimos, não são a melhor opção para quem trabalha no ramo da Educação
Física. Aproveite ponderadamente.